Sobre Aljezur

História da Vila 

origem

Aljezur e suas origens . . .

Aljezur é uma terra de origens remotas, cuja antiguidade é atestada pelos muitos vestígios arqueológicos que têm sido encontrados. 

O seu território é habitado desde os tempos pré - históricos. 

Aljezur foi fundado no séc. X pelos árabes que aqui permaneceram durante cinco séculos até à conquista cristã e aqui deixaram importantes marcas tais como o castelo, a sua cisterna, a toponímia, como muitas lendas e histórias populares. 

No século XIII, no reinado de D.Afonso III, Aljezur foi definitivamente tomada aos mouros por D.Paio Peres Correia. 

Aljezur passa a ter foral a partir de 12 de Novembro de 1280, concedido pelo Rei D. Dinis. 

Em 1 de Junho de 1504, D. Manuel reformou a Carta Diplomática de D. Dinis, concedendo à vila o título de "Nobre e Honrada". 

Em 1725 Aljezur foi profundamente devastada pelo terramoto sofrendo deste modo grandes danos. 

O Bispo D. Francisco Gomes de Avelar mandou construir a Igreja da Nossa Sr.ª D'Alva em local fronteiro à vila para que os habitantes se transferissem para aquele local e para ali crescer um novo aglomerado populacional, passando a se chamar a Igreja Nova. 

Mais um pouco sobre Aljezur. . . 

O Concelho de Aljezur situa-se na zona ocidental da província do Algarve, confronta a norte com o concelho de Odemira, a oriente com os concelhos de Monchique e Lagos, a sul com o concelho de Vila do Bispo e a ocidente com o Oceano Atlântico.

O Concelho de Aljezur é composto por quatro freguesias: Aljezur, Odeceixe, Rogil e Bordeira.

A Freguesia de Aljezur ocupa uma área de 163.4 km2, tem cerca de 2687 habitantes (fonte: INE, Censos 2001) e conta com 2204 eleitores (até Dezembro de 2002).

Com um património natural diversificado, é um destino turístico alternativo à massificação turística do restante Algarve, proporcionando momentos de descoberta e aventura em cenários naturais "selvagens" onde imperam espécies animais e vegetais únicas em toda a Europa.

Também a Serra do Espinhaço de Cão e os contrafortes da Serra de Monchique marcam e embelezam a paisagem do concelho. Na serra destacam-se extensas manchas de pinhais, eucaliptos, sobreiros e medronheiros. Em menor porte, mas característica presença, as estevas, tojos, arbustos de camarinha branca, a urze e o perfumado rosmaninho enfeitam e embelezam as serranias.

sol